Queima queima Descontão! Ofertas com até 82% Off

Tudo para sua Clínica em até 48x whatsapp
Compre pelo WhatsApp ou Ligue:0800 940 7149

Visite nosso Blog | Saiba como alavancar sua carreira de esteticista

Blog Home / Aparelhos Estéticos / Como usar o aparelho de ultrassom na Estética? Saiba mais!

Como usar o aparelho de ultrassom na Estética? Saiba mais!

pessoa fazendo ultrassom estetico

Hoje, queremos nos aprofundar um pouco mais nos tratamentos estéticos realizados pelo ultrassom estético. Os tratamentos com o ultrassom estético têm diversas finalidades, mas, basicamente, o aparelho funciona emitindo ondas sonoras que aceleram o metabolismo para facilitar a eliminação das gorduras, melhorar a textura da sua pele, reduzir a flacidez e amenizar as celulites.

Então, se você se interessa por essa área e quer saber mais sobre ela, continue a leitura para saber como são utilizados os aparelhos de ultrassom na Estética.

Como usar os aparelhos de ultrassom na Estética?

O ultrassom estético é um dos tratamentos mais modernos e mais utilizados nas clínicas de Estética atualmente e as técnicas são realizadas com equipamentos distintos que atuam em diversos aspectos da estética corporal de homens e mulheres.

Apesar de não ser um procedimento complexo, somente um profissional capacitado pode realizar os tratamentos com os aparelhos de estética.

Funcionamento do ultrassom estético

O procedimento é considerado seguro e pode ser aplicado em pacientes saudáveis e que não tenham sobrepeso. Desde que elegível para o procedimento, o paciente não precisa realizar nenhum preparo antes de ser submetido ao tratamento.

Para melhor entender o funcionamento do ultrassom estético, precisamos compreender que este emite ondas mecânicas em algumas frequências: 1Mhz, 3Mhz, 5Mhz e 10Mhz. Essa diferença de frequência em megahertz é relativa à intensidade que é igualmente diferente nos fins terapêuticos do ultrassom.

Quanto menor a frequência mais as ondas mecânicas se aprofundam na camadas do corpo. Por isso, quando se trata de reabilitação das regiões tratadas em procedimentos cirúrgicos, os especialistas utilizam a frequência de 1Mhz, que pode atingir até mesmo as camadas dos músculos. Já as frequências de 3 a 10 Mhz são mais indicadas para os tratamentos para gordura localizada, celulite e flacidez.

Portanto, quanto maior for a frequência da onda do ultrassom, mais superficial ele atuará nas camadas de tecido. Mas é fato que o ultrassom é capaz de ultrapassar a pele e modificar algumas estruturas do nosso corpo por meio das suas ondas.

Para o tratamento de gordura localizada, uma quantidade de energia emitida é direcionada para essas camadas, assim as ondas se convertem em volume causando a quebra mecânica das células gordurosas.

Outro diferencial dos equipamentos de ultrassom modernos é que eles permitem a seleção do tecido, fazendo com que somente as células adiposas sejam atingidas, não interferindo nos vasos sanguíneos, nervos, entre outras partes.

Mecanismos do ultrassom estético

Além das frequências, também é muito importante conhecer os mecanismos do ultrassom estético que ocasionam diferentes efeitos no corpo:

  • Efeito térmico: referente ao calor gerado nos tecidos mais profundos, estimulando o colágeno e a elastina no organismo.
  • Efeito mecânico: referente às vibrações das ondas do ultrassom em alta velocidade que atuam sobre o tecido como uma massagem.
  • Efeito de cavitação: refere-se à promoção de gotículas microscópicas de oxigênio no processo da vibração, que promove oxigenação e renovação das células dos tecidos.
  • Efeito biológico: promoção da dilatação dos vasos sanguíneos, otimização da circulação e microcirculação sanguínea, melhora da fonoforese (melhor absorção de produtos farmacológicos ativos pela pele), aumento do fluxo da linfa, relaxamento muscular, redução da inflamação e das dores.

Além disso, também é válido conhecer os modos de emissão que os aparelhos de ultrassom podem emitir nas ondas mecânicas.

Modo de emissão contínuo

Neste modo de emissão, as ondas sonoras contínuas provocam o efeito térmico, uma vez que a aplicação direta aquece as regiões trabalhadas em centímetros de profundidade. Claro que essa intensidade de calor irá variar de acordo com a frequência empregada. Ou seja, no modo de emissão contínuo, o ciclo de funcionamento nunca é interrompido, o que indica emissão constante das ondas mecânicas e, portanto, maior aquecimento por conta das vibrações.

Modo de emissão pulsado

O efeito térmico é menor nos aparelhos que emitem as ondas de forma pulsada, visto que ocorre dispersão de calor entre um pulso e outro, o que potencializa o efeito cavitacional.

A emissão pulsada é recomendada para quando não há a intenção de obter os efeitos fisiológicos do aquecimento tecidual. Isto é, para tratar condições inflamatórias agudas, como suavização das cicatrizes no pós cirúrgico e para a flacidez da pele.

Nesse tipo de emissão, a duração do tempo de pulso é ajustável, dessa forma, o profissional que está manipulando o aparelho deve ajustar essa frequência no modo pulsado de acordo com o objetivo do tratamento. A maioria dos aparelhos de ultrassom atuais oferecem frequências de 16Hz, 48Hz e 100Hz em ciclos de 5% até 75%.

Essa frequência é referente ao número de oscilações por unidade de tempo de uma onda em Hertz, equivalendo, por segundo, a uma oscilação. Então, 16 oscilações por segundo é igual a 16 Hz e assim sucessivamente.

Aplicação do ultrassom estético na prática

Na prática, quando o paciente chega à clínica, ele se deitará na maca para receber o tratamento, deixando a parte do corpo a ser trabalhada à mostra para que o profissional possa trabalhar nas regiões desejadas.

Então, ele utilizará a ponteira do aparelho, também chamada de cabeçote, aplicará um gel condutor e deslizará a ponteira em movimentos circulares em toda região que está sendo tratada por cerca de 30 a 50 minutos. As regiões mais tratadas com o ultrassom estético são barriga, culotes, glúteos e coxas, mas existem equipamentos modernos que podem ser usados até mesmo em alguns pontos da face dos pacientes.

O processo é totalmente não invasivo e bem tolerável para o paciente, não oferecendo nenhum risco para pessoas saudáveis e elegíveis para receber o tratamento.

Agora que você já sabe como funciona o aparelho de ultrassom estético, confira também como funciona a eletrolipólise aqui em nosso blog! E continue atenta(o) para as próximas publicações!