Queima queima Descontão! Ofertas com até 82% Off

Tudo para sua Clínica em até 48x whatsapp
Compre pelo WhatsApp ou Ligue:0800 940 7149

Visite nosso Blog | Saiba como alavancar sua carreira de esteticista

Blog Home / Procedimentos / Eletrocautério: como funciona, indicações e resultados!

Eletrocautério: como funciona, indicações e resultados!

mulher recendo jato de plasma na região da pálpebra fixa

O eletrocautério é uma tecnologia que auxilia eficientemente na remoção de manchas, pigmentações e também atua tratando diversas outras marcas e sinais da pele. Para gerar resultados positivos, essa técnica recebe inovações no equipamento responsável pela aplicação das correntes que conduzem a retirada das alterações cutâneas.

É necessário possuir um equipamento de eletrocautério de qualidade para o tratamento das manchas ser eficiente, e se você quer saber um pouco mais sobre esse aparelho e essa técnica tão conhecida no mundo estético, confira o post que a Tudo Belo Estética preparou para tirar suas dúvidas!

O que é eletrocautério?

O eletrocautério é um aparelho profissional que realiza a retirada de manchas e sinais da pele, trata rugas e linhas de expressão para o rejuvenescimento facial, além de promover a despigmentação de sobrancelhas (dependendo do tipo de pigmento que foi usado anteriormente).

O equipamento consegue trabalhar nos tecidos por meio de uma descarga elétrica controlada. Assim como remove as manchas indesejadas, também consegue dar pigmentação nos casos de leucodermias, que são manchas brancas causadas pelo excesso de exposição ao sol.

Como funciona o eletrocautério?

O eletrocautério é realizado por profissionais capacitados, utilizando o aparelho que libera correntes elétricas de baixa tensão por um fio resistente e gerador de calor nas superfícies da pele para a retirada das manchas, podendo amenizar cicatrizes, rugas, sinais de idade e até mesmo a micropigmentação.

A ação do eletrocautério se dá por uma corrente elétrica, sem a necessidade da aplicação de algum produto, apenas do anestésico tópico. Sendo assim, o que acontece é um processo inflamatório leve pelas micro lesões que o procedimento faz.

O que pode acontecer também é a região ficar levemente escurecida e, assim, pode e deve ser usado despigmentante para o tratamento. Mas não é uma regra, nota-se que peles com mais melanina possuem maiores chances de ter esse escurecimento, mas, não se preocupe, as manchas podem desaparecer no período de 60 dias, conforme relata Coimbra (2010). Ainda, sendo uma corrente elétrica controlada, esse procedimento acaba se tornando um dos mais seguros e eficazes entre os métodos de rejuvenescimento.

Essa tensão elétrica gera uma queimadura equilibrada, e é graças a ela que acontece a retirada das manchas, podendo até realizar a destruição das alterações cutâneas, se tiver uma corrente de maior intensidade. O eletrocautério também diminui a flacidez cutânea sem desconfortos, proporcionando efeitos positivos na pele.

Benefícios da técnica

O procedimento é baseado na eletrocirurgia, também conhecida como cirurgia elétrica, responsável por emitir uma descarga elétrica que ajuda a remover todo o tecido que precisa sair. Vale dizer que a eletrocirurgia é muito utilizada em diversos procedimentos modernos de estética e mais. Para isso, existem vários equipamentos de eletrocautério no mercado, tendo a vantagem de serem portáteis e de baixo custo.

O equipamento precisa, imprescindivelmente, ser manuseado por profissionais esteticistas, e esses precisam seguir à risca o protocole que garante segurança e não oferece nenhum risco ao paciente.

Áreas de aplicação

  • Com sinais de idade;
  • Com verrugas planas ou filiformes;
  • Com manchas solares;
  • Lugares com dermatose;
  • Pálpebras caídas e flácidas;
  • Linhas de expressão, rugas e olheiras;
  • Como lifting na face;
  • Lugares com micropigmentação;
  • Para clareamento de tatuagens pequenas;
  • No pescoço e colo para rejuvenescer;
  • Na papada;
  • Em cicatrizes de acne;
  • Em estrias vermelhas ou brancas (o primeiro tipo sai mais fácil);
  • Nas cicatrizes atróficas ou hipertróficas.

Indicações para o eletrocautério

O eletrocautério é indicado para diversos tratamentos, entre eles, gostamos de citar:

  • Despigmentar a pele: removendo micropigmentação e melanoses solares;
  • Curetagem: nas limpezas de pele superficiais realizadas em procedimentos estéticos;
  • Pigmentação de leucodermias (manchas brancas acarretadas por exposição solar em excesso);
  • Rejuvenescimento da face (removendo ou diminuindo rugas e linhas): aumento de colágeno na derme pelo processo inflamatório e depois cicatricial induzido;
  • Tratamento de cicatrizes e estrias: processo de reestruturação do colágeno e suas fibras através da inflamação e cicatrização.

Contraindicações do Eletrocautério

Não se tem, na literatura, as contraindicações bem definidas dessa técnica, mas devido a possíveis complicações em peles morenas, é sugerido não realizar em peles com esse fototipo (IV, V, VI) e em pessoas que apresentem problemas de cicatrização.

Ainda, pessoas que possuem lesões cancerígenas, tenham feridas abertas, mulheres grávidas e pessoas cardiopatas não podem fazer uso do procedimento. Uma outra contraindicação é para as pessoas que fazem o uso dos medicamentos com ação fotossensibilizadora.

Caso o paciente não apresentar nenhuma das características de contraindicação, ele será avaliado para receber o procedimento e, consequentemente, terá resultados altamente positivos.

Aparelho de Eletrocautério

O aparelho de eletrocautério possui canetas que contam com uma tecnologia que dispara energia elétrica em baixos níveis, controlando a tensão e removendo os pigmentos endógenos melânicos, os quais dão cor à pele, podendo também remover os pigmentos exógenos, como o pigmento das sobrancelhas. O despigmentador se liga com a cauterização de tecidos por decorrência da passagem de corrente elétrica na pele, e isso acarreta diferentes benefícios.

Como aplicar o eletrocautério?

Em cada procedimento é indicado realizar uma técnica diferente, tanto na preparação do paciente quanto durante o tratamento. Os passos a serem dados precisam se concentrar entre a higienização até a anestesia opcional.

Seguir a direção fibral do músculo orbicular é orientado por Coimbra (2010) em um processo direcionado linhas semicirculares, seguindo a direção das fibras do músculo orbicular, em casos de aplicação nos olhos. O estudioso relata uma melhor cicatrização e retração da pele com esse tipo de aplicação.

Tratamento de Manchas

No tratamento de manchas, para realizar a aplicação do eletrocautério é necessária a higienização e assepsia da pele, que pode ser feita com esfoliante e produtos que tirem a superfície com a pele morta. Em alguns casos a anestesia é aplicada, porém, é opcional do paciente, para isso, pode ser aplicado gelo na superfície da pele ou uma pomada de lidocaína de 5-10% (oclusão de 15min).

Apenas lembre-se de remover o anestésico, se ele for aplicado, com um gaze úmido com água, depois finalize com gaze seca, e assim a ponteira do despigmentador pode ser acoplada em potência elétrica entre maior e menor intensidade. A ponteira consegue ser feita de forma pontual ou em varredura, vai depender do tamanho da área a ser despigmentada. Finalize com a luz vermelha aplicada na pele em dose de luz de 5 a 15J/cm², sendo responsável por diminuir a inflamação no local.

Dependendo do protocolo utilizado, é indicado aplicar creme hidratante com ativos cosméticos depois do procedimento, podendo ter novas aplicações pelo menos depois de 15 a 21 dias, tendo em média de 3 a 10 aplicações, variando de acordo com a quantidade das manchas, e também é importante verificar a extensão dessas manchas.

Tratamento para Estrias Vermelhas:

No tratamento para estrias vermelhas deve-se aplicar a luz vermelha em contato com a pele em dose de luz de 4-15J/cm². Nesta etapa do tratamento, a luz vermelha tem por objetivo diminuir a inflamação, isso acaba auxiliando a estimular a proliferação de fibroblastos, e ativa a síntese de colágeno na pele. Isso vai ativar com eficácia a cicatrização. Da mesma forma que no tratamento de manchas, nesse caso, o hidratante também precisa ser usado.

Qual a diferença entre eletrocautério e jato de plasma?

No eletrocautério, a corrente elétrica é disparada diretamente na superfície, gerando uma queimadura superficial controlada e, dependendo da intensidade da corrente, teremos uma indução inflamatória até a destruição das alterações cutâneas.

Conforme relata Coimbra (2010), pode ocorrer retração da pele, como exemplificado em um tratamento de lesão palpebral tratado com eletrocoagulação. O resultado encontrado mostrou-se promissor, havendo diminuição importante da flacidez cutânea e do envelhecimento precoce da pele na região, decorrentes provavelmente da retração da pele ocasionada pelo trauma tecidual.

Enquanto isso, o jato de plasma é um aparelho que emite um estado da matéria, o plasma. Esse estado da matéria é altamente energético, podendo interagir com o tecido cutâneo de diferentes formas, dependendo da intensidade de energia depositada. Em varredura com energia baixa, tem-se um resultado séptico positivo, o que o torna muito adequado para tratar a acne.

A resposta inflamatória com o aumento da energia depositada resulta em maior produção de colágeno, o que ajuda em procedimentos rejuvenescedores e combate as rugas e flacidez. Ainda, pode acontecer a carbonização de pólipos, lesões de resistência à insulina), xantelasmas e nevos. Quando a pele recebe a carga alta energética, pode ocorrer a retração e, assim, é indicado a blefaro não cirúrgica (EMMERT et AL, 2017).

Agora que você conheceu um pouco mais sobre o eletrocautério, não deixe de acompanhar nossos outros conteúdos! Esperamos que tenha gostado desse post! Até a próxima!

REFERÊNCIAS

COIMBRA, D. D. Eletrocoagulação fracionada para o rejuvenescimento da região orbital inferior. Surgical & Cosmetic Dermatology, vol. 2, núm. 3, Julho-Setembro, 2010, pp. 233-236.

EMMERT et al. Plasmamedizin in der Dermatologie. Disponível em: <https://dermatologie.med.unirostock.de/fileadmin/Kliniken/duk/Plasma_in_der_Dermatologie.pdf>. Acesso em: 17 nov. 2021.